sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Presidência Checa ,e Beatriz Cunha pirateada.

Um artista checo fez um acordo com a Presidência da União Europeia que neste semestre pertence à Republica Checa, para a realização de uma exposição de artes plásticas. Nessa exposição haveria obras de artistas dos 27 Estados. Por razões que só ele saberá não convidou ninguém. Inventou artistas para cada país e decidiu roubar currículos e identidades a artistas realmente existentes e atribuir esses dados aos nomes que ele inventou. A exposição lá está no átrio do edifício sede da Presidência da União Europeia. Da autoria do artista checo ou dos seus sequazes serão as "obras" que de facto são uma só, mas dividida em 27 partes. O estilo do artista checo é matricialmente kitsch, talvez espelhando a vizinhança da grande Alemanha. É sintomático que o trabalho deste artista copie a forma das grelhas nas quais as peças dos brinquedos de montar vinham cristalizadas. Estas peças agarradas pelos seus jitos à grelha de material fundido que lhes deu a forma do molde onde solidificaram, são modelos em escala reduzida. Reproduzem navios e aviões de guerra, canhões, carros de assalto e soldados em combate. Destinam-se estas pecinhas a ser montadas para os jogos de faz de conta. Adultos, como este artista checo, costumam nestes jogos de faz de conta reviver batalhas sangrentas do passado ou projectar estratégias para teatros de guerra futuros. Os Países e as Nações são reduzidos à sua forma recortada do mapa em que a fronteira se torna na linha de partida onde são colocados os sucessores dos soldadinhos de chumbo, os soldadinhos de plástico. Ora estas peças em kit, grelha, pré-fabricadas, que se montam como um puzzle e pretendem representar a guerra, dizem mais do artista e do seu país, atendendo ao contexto, do que ele terá desejado exprimir. Digo mesmo mais ,do que ele terá percebido. No caso de Portugal o artista checo roubou a identidade curricular à escultora Beatriz Cunha. Beatriz Cunha tem anos de trabalho dedicado e meritório e sobretudo tem uma linguagem própria. Por isso devia ser-lhe apresentado um pedido de desculpas pela Presidência Checa. Quanto ao artista checo não sei se ébrio, mas com grande probabilidade de ser boémio, ao comportar-se como um pirata corre risco de acordar um dia sem um olho,com um gancho em vez de mão e com uma perna de pau, pois esse é o destino dos piratas.

2 comentários:

Ines na escultura disse...

Olá, já andei a pesquisar pela net e já há mais pessoas que perceberam que o currículo pertence à verdadeira escultora e artista Beatriz Cunha. A Beatriz é uma escultora muito original e reconhecida e ainda bem que esta situação não passou despercebida aos olhos dos observadores atentos. Claro que da parte do artista Checo e da presidência devia de haver um pedido de desculpa.

jacker disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.