quarta-feira, 24 de junho de 2009

"O Porto Trabalha e Lisboa Baila" excepto hoje que é S.João.

Entre Porto e Lisboa qual escolher,como comparar,qual eleger? Nunca entendi porque se encarniçavam tanto na argumentação, e se deixavam atiçar tanto na disputa os adeptos da supremacia de uma cidade face à outra. Eu nasci em Lisboa e vivi sempre em Lisboa ou nos imediatos arredores. Não conheço o Porto e só me pronúncio na medida do meu desconhecimento. Claro que já estive no Porto mas nunca vivi lá. As minhas memórias mais antigas de imagens do Porto são dos filmes do Manoel de Oliveira: o "Anikibóbó" e o "Douro Faina Fluvial". Por isso, como poderia eu não ter um fascínio pelo Porto? Fascínio que nunca se quebrou e dura até hoje. Pelos 10 anos, em que o meu interesse pela pintura já era maior que na maioria dos catraios da minha idade descobri na casa de um amigo uma aguarela do Porto. Representava uma vista para Mosteiro e Igreja da Serra do Pilar com a Ponte D. Luís. O Porto não parecia deste mundo, a neblina, o rio, as embarcações, o casario... Parecia uma realização fantástica de um sítio de beleza ideal. Percebi que o preto e branco dos filmes não tinham essa volúpia de frutos maduros que as cores daquela aguarela transmitiam. Percebi que a beleza não podia ser só mérito dos artistas, mas também da energia emanada pelo modelo. Por isso desejo bom S. João para o Porto e todos os locais onde existem: O S.João e o Porto. Desejo que todos os dias haja motivo de alegria para ser S.João como hoje no Porto.

3 comentários:

Ines Ferreira disse...

adorei este texto.
Quando eu estiver com a Beatriz levo um livro que gostava de emprestar para o Luis ler.
É um conjunto de histórias assim, simples e com magia

Luis Filipe Gomes e Silvia Cunha Pedro disse...

Obrigado Inês és muito simpática.
Estou com curiosidade para ler o livro. Fico à espera.
Luís

Lilazdavioleta disse...

Luis ,
O Porto tem essa magia que descreves .
Quando se cá vive , temos que andar mais atentos e não deixarmos que certos senãos a quebrem .
Apesar de cá ter nascido , vivi alguns anos numa cidade com a qual tenho mais afinidades , e onde fui mais feliz .
Neste momento estou a deixar-me cativar pela cidade e pela sua gente , e posso dizer que finalmente estou a saber ser feliz na terra onde comecei a ser gente .
Quanto a fazer comparações , não !
Cada terra tem a sua personalidade e encanto .

Maria