sábado, 23 de julho de 2011

Chamava-se Winehouse, dizem que bebia excessivamente. Nunca ouvi dizer que sofrêsse de alguma coisa. A dor era óbvia, e só a sua voz vigorosa fazia esquecer que era apenas mais uma vela acesa ao vento. Partiu na Festa do Sábado.

1 comentário:

Evanir disse...

A esperança e a alegria de viver esta
nos atos de amor que praticamos.
Quero viajar todos os dias semeando
a paz no coração dos amigos (as)ser
apreciada por minha presença.
Quero jogar flores por onde
eu passar.
E em silêncio deixar a palavra
mais bonita.
(Creia em Deus porque viver é fantástico.)
Um beijo na alma e no coração com carinho,,Evanir,